Notícias /

O teu Syfy entra na realidade virtual com a sua nova e inovadora série “Halcyon”

A inovadora produção de 15 episódios, cinco deles em realidade virtual, estreia já no próximo dia 22 de setembro Também estará disponível neste site e em plataformas de RV. 

Apresentado por: Syfy Portugal

 É já no próximo dia 22 de setembro, que o teu Syfy estreará em exclusivo uma série pioneira. Trata-se de uma combinação de episódios convencionais com outros em realidade virtual. A série estará disponível  em todos os canais Syfy do mundo, à excepção dos Estados Unidos. Poderá, ainda, ser vista em simultâneo nas páginas web dos canais, bem como nas plataformas Oculus Rift e Samsung Gear VR. 

'Halcyon' é uma minissérie criada e produzida pelos Secret Location, um estúdio especializado em novos formatos, que já recebeu prémios Emmy e os ambicionados Lions, do Festival de Cannes. Benjamin Arfmann (Random Stop) dirige estes 15 episódios, cuja trama combina a ficção científica e o drama policial em 10 capítulos, que irão ser estreados quer no canal linear, quer em Syfy.pt. Os outros 5 episódios estarão disponíveis, em exclusivo, nas plataformas de RV. Para os espectadores dos episódios convencionais que não queiram perder nem um nada da história, o Syfy.pt colocará à disposição pequenos resumos de cada um dos 5 capítulos em RV. 

Passada em 2040, a série centra-se em Blake Creighton (Michael Therriault), o CEO da companhia líder em RV: Halcyon. A tecnología de Halcyon evoluíu de forma que já não são necessários dispositivos. É que já é possível, nesse ano, aceder ao mundo virtual através de implantes neurológicos que alteram os seus sentidos, até que os corpos estejam submersos numa realidade paralela.  A morte de Creighton, presumivelmente assassinado, coloca em marcha a investigação da detetive Jules Dover (Lisa Marcos) e da sua companheira Asha (Harveen Sandhu), cuja primeira teoria passa por julgar este como o primeiro crime virtual da história.

'Halcyon' é uma produção de Secret Location com a participação financeira do Independent Production Fund e da Ontario Media Development Corporation.

Dê-nos a sua opinião